Confiança em Deus diante das dificuldades – 1Pe 5,10

853

«Depois de sofrerdes um pouco, o Deus de toda a graça, Aquele que vos chamou em Cristo para a sua glória eterna, vos restabelecerá, firmará e fortalecerá, e tornar-vos-á inabaláveis.» (1Pe 5,10).

῾Οδὲ Θεὸςπάσηςχάριτος, ὁ καλέσας
ὑμᾶςεἰςτὴναἰώνιοναὐτοῦ δόξαν
ἐνΧριστῷ ᾿Ιησοῦ ὀλίγονπαθόντας,
αὐτὸςκαταρτίσειὑμᾶς, στηρίξει,
σθενώσει, θεμελιωσει

Palavras chave:

Πάσχω [=pásjo]: padecer, sofrer.
ὀλίγος [=olígos]: breve, pequeno, tempo.
Καταρτίζω [= katartízo]: de κατά [= katá] e um derivado de
ἄρτιος [= ártios], completar totalmente, reparar ou ajustar. Significa fazer apto, completar, constituir, aperfeiçoar, perfeitamente, preparar, remendar, restaurar, unir.
Στηρίζω [= sterízo]: estabelecer, afirmar, confirmar.
Σθενόω [= sdsenóo]: de σθένος [= sdsénos], fortalecer. Significa fortalecer.
Θεμελιόω [= dsemelióo]: de θεμέλιος dsemélios; colocar uma base para. Significa cimentar, fundar.

Contexto

Neste capítulo São Pedro prega primeiro aos pastores e depois aos jovens e a todos os cristãos fazendo-lhes várias recomendações importantes para enfrentar os desafios da vida cristã. Convida acima de tudo à vigilância requerida para o que é um verdadeiro combate espiritual com um inimigo concreto, o demônio que busca destruir os cristãos (V. 8). Este inimigo deve ser vencido com a resistência e a perseverança (V. 9) que têm como fundamento a confiança em Deus (V. 9). É por isso justamente que se deve perseverar mesmo no meio do sofrimento com a convicção de que a vitória final será de Deus (V. 10) e será uma vitória definitiva (V. 11).

Em si

Neste contexto em que São Pedro procura confortar os fiéis que sofrem, são tentados e se vêem perseguidos, dá-lhes um argumento fundamental: «Deus os chamou em Cristo à glória eterna». A força desse chamado divino, que é muito mais que um convite, e a invencível fidelidade de Deus é o que garante que «depois de sofrerdes um pouco», vos restabelecerá, afiançará, robustecerá e… consolidará». Isto se aplica tanto em relação a males que se padecem na vida temporal e que nela mesma desaparecem pela ação da graça, como àqueles que podem levar à morte física (como o martírio), mas que são imensamente superados pela glória eterna que espera o cristão na vida futura.

Esta promessa também se aplica ao combate espiritual e ao pecado. A graça de Deus não abandonará os que confiam nele e acolhem sua misericórdia com a resolução decidida de combater com perseverança e bom ânimo. A vitória não procederá em primeiro lugar do esforço humano mas sim da ação restabelecedora, firmadora, robustecedora e consolidadora da graça divina em cada cristão.

É necessário ressaltar a importância destes verbos que aparecem sublinhados como ação de Deus nos crentes. Em primeiro lugar se fala de restauração ou restabelecimento que é a mesma palavra usada para descrever a reparação das redes danificadas (ver Mt 4,21) ou das naves depois de uma batalha ou tormenta. Também o cristão ferido, golpeado, sofrido, quebrado será reparado pelo Senhor. Em segundo lugar se fala de fiança ou confirmação entendida sobretudo em relação à própria fé e à opção de vida. O crente que confia no Senhor será firmado e confirmado em sua fé. Em terceiro lugar se fala de robustecimento ou fortalecimento. O crente que faz de Deus sua fortaleza será verdadeiramente fortalecido e robustecido em seu combate espiritual e em sua fidelidade. Em quarto e último lugar se fala de consolidação ou cimentação que faz referência aos fundamentos, especialmente de um edifício (tornar-vos-á inabaláveis). Não existe base nem fundamento mais sólido que a força de Deus atuando no cristão; a confiança nele nunca se verá decepcionada. O que se pede é a perseverança que, entretanto, também é fruto da graça.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here