Caminho para Deus 25: O Serviço

267

A pessoa humana é um ser criado para o amor. Imagem e semelhança de Deus-Amor, o ser humano descobre a profundidade de sua própria realidade, o caminho para sua autêntica felicidade e realização pessoal, na opção existencial pelo Senhor Jesus. O mistério do Verbo Encarnado manifesta que o amor constitui o dinamismo central da existência humana. Por isso, a única revolução capaz de transformar a vida humana em uma existência plenificante, capaz de responder aos mais íntimos desejos do coração humano é a revolução do amor inaugurada pelo Senhor Jesus. Daí que optar pelo Senhor Jesus é optar pelo amor; amor que desde o compromisso interior com Deus, projeta-se para o encontro com os irmãos, por meio do serviço.

Acolhendo a partir de nossa liberdade o dom do batismo, o crente ingressa em uma vida nova, renunciando ao pecado e sua sequela antipersonalizante para ingressar no dinamismo amorizador do serviço, seguindo o exemplo modelar do Senhor Jesus e de Santa Maria, a Serva do Senhor.

Com efeito, na Anunciação-Encarnação, o Senhor da Vida se aniquila em um ato obediente de amor para assumir a condição de servo (Flp 2, 6-8), dando assim cumprimento às profecias de Isaías (Is 52, 13; Is 53, 12). Aquele que devia servir e não a ser servido (Mt 20, 28), convida-nos a nos fazer servidores (Lc 22, 24-27), amando-nos os uns aos outros com o mesmo amor com que Ele nos amou (Jo 15, 12).

O SERVIÇO COMO OPÇÃO DE VIDA

O serviço é, pois, condição fundamental da vida cristã. Para o crente, o serviço não é visto como uma debilidade ou uma limitação contrárias às legítimas aspirações da pessoa humana. O serviço a Deus e aos homens em Deus, transforma-se em caminho de plenitude e realização pessoal. Viver a vida como o serviço é dar-se aos outros procurando acolher com reverência e disponibilidade o Plano de Deus em todos os momentos da própria existência, segundo as circunstâncias e condições de cada um. O serviço, condição fundamental do seguimento do Senhor, é uma opção que alcança toda a realidade da pessoa.

O serviço nasce do amor, é concreção desse amor que o Espírito derrama em nossos corações (Rom 5, 5). Amor e serviço estão intimamente unidos em um mesmo caminho de plenitude e liberdade: “fostes chamados para serdes livres. Que essa liberdade, porém, não se torne desculpa para viverdes satisfazendo os instintos egoístas. Pelo contrário, fazei-vos servos uns dos outros através do amor” (Gal 5, 13-14).

O serviço amoroso é também uma instância de discernimento de nossos atos. Com efeito, todo dom, toda virtude ou qualidade não nos foi dada para dominar os outros, ou para nos enaltecer, mas para pô-la a serviço dos demais: “Que cada um ponha a serviço dos outros a graça que recebeu, como bons administradores das diversas graças de Deus” (1Pe 4, 10). Desta maneira, vivendo a vida como serviço, o amor se faz concreto, segundo o convite do Senhor Jesus: “Nisto conhecerão todos que são meus discípulos: se tiverem amor uns aos outros” (Jo 13, 35).

O serviço como opção de vida é particularmente importante para todos aqueles que exercem algum tipo de autoridade. Com efeito, todo posto de mando é um posto de serviço. O serviço por amor se converte em dinamismo purificador e transformante da autoridade, despojando-a da idolatria do poder, tentação tão comum e predominante em nossos dias.

SEGUINDO O CAMINHO DA MÃE

As disposições da Virgem de Nazaré para o serviço, mostram-nos a verdadeira dimensão da vida entendida como serviço e nos movem a seguir seu exemplo. Acolhendo com generosidade o anúncio do anjo, Maria se faz “Serva do Senhor” (Lc 1, 38). Com prontidão põe-se em marcha para servir a sua parente Isabel, não só com o serviço doméstico mas também através do serviço evangelizador do anúncio da Boa Nova (Lc 1, 39-45). O mesmo ocorre nas bodas de Caná, onde Maria também sabe unir à simplicidade do serviço cotidiano a perspectiva evangelizadora que conduz ao Senhor Jesus, seu Filho, provocando a fé dos primeiros discípulos (Jo 2, 11). Nela, Modelo do serviço eclesial na América Latina como a chamam nossos Pastores em Puebla, resplandece a vocação serviçal em sua dupla vertente: evangelizadora e solidária.

SERVIÇO EVANGELIZADOR

O anúncio da Boa Notícia por meio do serviço evangelizador, constitui uma dimensão fundamental para o cristão. Cooperando com generosa prontidão e disponibilidade com Maria em sua vocação serviçal de conduzir os homens para seu Filho, procuramos responder com fidelidade ao convite do Senhor Jesus para ser servidores da reconciliação (2Cor 5, 18), através do testemunho de vida, assim como do compromisso apostólico explícito, procurando com que todo mundo se oriente segundo o Plano de Deus.

SERVIÇO SOLIDÁRIO

O serviço como dimensão fundamental de nossa vida cristã adquire uma ressonância especial no serviço solidário para com nossos irmãos mais necessitados. A dramática situação que tantos de nossos irmãos atravessam exige uma resposta profunda e comprometida do Evangelho. Trata-se, pois, de viver o formoso ministério da reconciliação social, levando uma resposta de comunhão, amor fraterno e solidário àquelas realidades concretas que mais expressam a dor da ruptura, fruto do distanciamento do cumprimento do Plano Divino.

PASSAGENS BÍBLICAS PARA MEDITAÇÃO E ORAÇÃO

  • Jesus nos convida a viver o serviço: Mt 20, 20-48; Lc 22, 24-27; Jo 13, 13-16.
  • Pondo nossos nos a serviço dos demais: 1Pe 4, 10.
  • Servindo-nos mutuamente no amor: Flp 2, 3; Gál 5, 13.
  • Serviço evangelizador: 1Cor 3, 5; 1Cor 4, 1; 2Cor 4, 5.
  • Serviço solidário: 1Pe 1, 22; 1Pe 3, 8.
  • Amor e serviço: 1Cor 13, 4.
  • Servir por amor, não por vangloria: Gál 1, 10.
  • Maria modelo: Lc 1, 38-45; Jo 2, 1-11.

PERGUNTAS PARA O DIÁLOGO

  1. Qual é minha aproximação vital para o serviço? Busco vivê-lo ou, pelo contrário, fujo? Por quê?
  2. De que maneira Maria é modelo de serviço?
  3. Que posso fazer para transformar minha vida em atitude de serviço amoroso aos demais?
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here