Caminho para Deus 94 – Vale a pena ser homem porque tu, Senhor, te fizeste homem

937

«Vale a pena ser homem, porque Tu te fizeste homem! Porque vieste ao mundo para dar testemunho da verdade. Porque te fizeste — mediante o amor — totalmente “para os demais”»[1].

 Ser, existir, é antes de tudo uma experiência vital: sei acerca de mim (sou consciente) e me experimento sendo, e sendo não uma coisa mas pessoa humana. Esta experiência é tão cotidiana que assumimos o fato de existir como algo “normal”. Entretanto, quando nos detemos a refletir sobre o que significa a existência humana, sobre o que significa nossa própria existência, nos encontramos diante de um mistério difícil de resolver: O que é o homem?[2] O que é este mistério de ser pessoa humana? Quem sou eu? Respondemos a estas perguntas essenciais a partir da fé. O próprio Deus, em seu Filho[3] feito homem, nos oferece as luzes necessárias para conhecer plenamente o mistério do ser humano, qual é sua origem, o sentido de sua vida e seu destino final e, ao mesmo tempo,  nos concede o Dom e a força divina para chegarmos a ser verdadeira e plenamente pessoas humanas, conforme seu desígnio divino.

Deus cria o homem com um Plano

 O homem não pode ser verdadeiramente aquilo que está chamado a ser — ser humano —  se sua compreensão de si mesmo é equivocada ou parcial, ou seja, se não se conhece verdadeira e plenamente, se não sabe quem é, sua identidade mais profunda. Este conhecimento, por sua vez, não é possível se não conhece Deus e seu desígnio criador sobre o homem.

 Deus, que é Uno e único, é Pai, Filho e Espírito Santo, em si mesmo Mistério de Comunhão no Amor. Ele cria o homem por superabundância de amor, convidando-o  a participar de sua própria Vida e Comunhão divina, da felicidade que Deus vive em si mesmo. Criado por Amor[4] e para o Amor, é um ser para o encontro, que tem necessidade de diálogo, numa busca constante de comunhão com Deus e com outros “tu” humanos como ele.

O convite a participar da Comunhão divina exigia por parte do homem uma resposta livre: ele podia aceitar ou não tal convite. Mas ficava claro que somente no fiel cumprimento dos desígnios divinos, exercendo um reto domínio sobre toda a criação e sendo criador de cultura, o homem alcançaria a plenitude do que estava chamado a ser.

Vale a pena ser homem?

Porque Deus sabe bem quem é o homem e qual é o caminho que conduz à sua plena realização, desde o princípio mostrou-lhe amorosamente o que tinha que fazer e por onde deveria caminhar para realizar-se, para desenvolver-se ao máximo, para ser feliz. Mas fazendo mau uso de sua liberdade o homem rejeitou o Plano de Deus, rompendo sua amizade com Deus, causando um terrível dano a si próprio e em sua relação com os demais, e introduzindo o mal no mundo e em toda a criação. Por detrás da ilusão do “bem-para-mim”, o pecado continua sendo um ato suicida. Aquele que peca, mesmo que acredite no contrário, é inimigo de si mesmo porque faz mal a si mesmo.

Muitas vezes diante das graves situações que, como conseqüência e efeito do pecado, atualmente sofremos ou que muitos outros sofrem, podemos perguntar-nos: A vida humana tem sentido? Vale à pena ser homem, quando pelas enfermidades, a fome, o ódio, a guerra, a sedução das ideologias, etc., a existência do homem pode tornar-se tão miserável? E… que sentido pode ter a vida do homem quando tudo parece acabar com a morte? A vida do homem — como alguns qualificaram — é um “absurdo”, ou uma “náusea”?   Verdadeiramente, vale a pena ser homem?

Deus responde…

Toda visão negativa e pessimista sobre o homem se desmorona diante de um acontecimento histórico inaudito: Deus se fez homem! Isso pode caber na nossa mente? Que Deus, o criador do universo e de toda a humanidade, assumiu nossa natureza humana, se fez Filho de Mulher, habitou no meio de nós?  E tudo isso para que nós, resgatados de nossa miséria, pudéssemos chegar a ser novamente Filhos de Deus, homens de verdade?  Sim, DEUS fez isso! E, por isso, em Jesus descobrimos a resposta que o próprio Deus dá para a pergunta que muitos se fazem no meio da angústia: Vale a pena ser homem?   Claro que vale a pena, pois o próprio Deus se fez homem!

 A encarnação e o nascimento do Senhor Jesus certamente nos falam com toda clareza da grandeza do ser humano, do imensamente valioso que o homem é aos olhos de seu Criador. Tanto vale o homem aos olhos de Deus, e tanto o ama, que Ele mesmo se faz Filho de Mulher para reconciliar-nos e elevar-nos novamente à nossa verdadeira condição e grandeza humanas! A uma condição mais elevada que aquela de antes do pecado!  Tanto vale aos olhos de Deus, que por ele Cristo derramou seu sangue na Cruz! Tanto vale para Ele que por ele venceu ao pecado e a morte com sua ressurreição! Tanto vale para Ele que pelo dom de seu Espírito abre-lhe novamente o caminho para que chegue a ser plenamente pessoa humana, sendo Filho de Deus[5]. Por isso, vale a pena ser homem, porque Tu te fizeste homem!

O Senhor Jesus, homem perfeito, revela o homem ao próprio homem

Em Cristo o projeto original de Deus sobre o homem recupera todo o seu esplendor e toda sua grandeza. Jesus é homem concreto e completo. Ele é o homem perfeito em quem não existe nenhum pecado. Nele a humanidade se encontra plenamente desenvolvida e por isso Ele é o modelo de plena humanidade e santidade[6], para todos os homens de todo o tempo e lugar.

Ao olhar a Cristo me conheço plenamente: descubro quem sou (minha própria e autêntica identidade) e o que tenho que fazer para responder à minha vocação a ser pessoa humana.  Por um lado, o Senhor Jesus me conduz a afastar-me de toda ilusão, a não crer-me o que não sou, a não identificar-me redutivamente com meu corpo, meus personagens, meus pensamentos, meus sentimentos. Por outro lado, leva-me a aprofundar no que verdadeiramente sou, a ir ao essencial, ao constitutivo, a aceitá-lo e valorizá-lo, a viver de acordo com isso.

Ao ver o Senhor Jesus, e porque quero ser feliz[7], me sinto convidado a ser como Ele, a tê-lo como mestre e modelo de plena humanidade. Diante dEle posso exclamar com plena certeza e convicção: “Sim, vale a pena ser homem, porém homem como Tu, aprendendo de Ti a amar intensamente, crescendo e desenvolvendo-me como Tu no fiel cumprimento do Plano de Deus para mim!” E quando em esforçada cooperação com a graça faça de Cristo minha vida[8], quando seja eu, mas não eu, senão Ele quem viva em mim[9], quem ame em mim, quem atue em mim, minha vida humana adquirirá um sentido pleno, intenso, grandioso, muito acima de todo o sofrimento que possa experimentar em minha existência como peregrino nesta terra. Vivendo como Cristo minha própria humanidade se realizará plenamente, serei o que estou chamado a ser, serei — com a ajuda de Deus — santo, serei verdadeiramente pessoa humana, dando com isso contínua glória a Deus. Aí está o caminho que conduz à minha própria felicidade[10].

CITAÇÕES PARA A ORAÇÃO

Deus é comunhão de amor: 1Jo 4,8.16. Por amor cria o homem à sua imagem e semelhança, convidando-o a participar de sua vida e comunhão: Gn 1,26-27; o homem rejeita Deus e seu Plano: Gn 3,1-7.

 Deus promete um reconciliador: Gn 3,15; por amor ao homem, envia seu próprio Filho: Gal 4,4-5; 1Jo 4,9-10; Vale a pena ser homem, porque Ele se fez homem: Jo 1,14; se encarnou de Maria Virgem, por obra do Espírito Santo: Lc 1,34-35; se fez igual a nós em tudo, menos no pecado: Hb 4,15; para reconciliar-nos: 2Cor 5,17-18, para que nEle tivéssemos a vida eterna: Jo 3,16;

 Vale a pena ser homem porque em Cristo o homem pode crescer e desenvolver-se no dom de si: Jo 15,9-12; e realizar-se plenamente: 1Jo 3,2; A plenitude que Deus tem preparada para quem o ama ultrapassa todo o imaginável: 1Cor 2,9.

PERGUNTAS PARA O DIÁLOGO

  1. Por que podemos dizer que vale a pena ser homem e não cair na visão negativa perante a qual muitas vezes sucumbe uma visão sem fé?  Explique com suas próprias palavras.
  2. Que significa dizer que o ser humano não pode conhecer-se plenamente se não tem Deus como referência?
  3. Para você o que significa o mistério do Natal?
  4. O que o presépio de Belém mostra-lhe e ensina-lhe sobre a realidade humana?
  5. O que você pode oferecer ao Menino Deus neste Natal?


[1] S.S. João Paulo II, aos jovens reunidos em Roma para celebrar o Jubileu de 1984.

[2] Esta é uma pergunta que o ser humano desde sempre se faz: ver Sl 8.

[3] Hb 1,1-2.

[4] 1 Jo 4,8.16.

[5] Ver Jo 1,12.

[6] Chamamos “hagionormo”, ou seja, norma ou modelo de santidade.

[7] Ver Jo 15,11-12.

[8] Ver Fl 1,21.

[9] Ver Gl 2,20.

[10] Ver Jo 14,6.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here