Maria, Mãe da Família Sodálite

876

Primeiro mistério: Maria, Mãe da Igreja

Se Pentecostés pode ser comparado com o nascimento da Igreja, a Anunciação-Encarnação pode ser comparada com a sua Concepção. Ao pronunciar seu Sim generoso, Maria se torna não apenas Mãe de Cristo, que é a Cabeça da Igreja, mas também de todo o corpo, e de cada um dos seus membros.

 

Segundo mistério: Maria, Mãe serviçal

Poucas vezes pensamos neste detalhe: Maria, Mãe da Igreja, realmente mãe do corpo e de cada um dos seus membros, é mãe de Isabel, de Zacarias e do próprio João Batista. Ela serve, desde o começo, ao crescimento desse pequeno corpo, o da Igreja, que neste momento é apenas um pequeno embrião, cheio de infinitas potencialidades, de esperança incalculável no coração da Mãe.

 

Terceiro mistério: Luzes e sombras em Belém

Nasce o Menino em Belém e já descansa nos braços da sua jovem Mãe, sob o olhar protetor de José, pai adotivo do Menino. Quão frágil se mostra agora o Senhor da Criação, o Messias e Salvador, a Cabeça da Igreja! Servindo-nos de metáforas, podemos dizer que o parto, para Maria, apenas começa: a cabeça da Igreja já veio ao mundo, mas o resto do corpo será dado à luz aos poucos, com o desenrolar da história, através de algumas balizas marcantes, de luzes e sombras que se estendem até hoje, até este momento, em que pedimos a Maria, rezando o Terço em família, que faça de nós um corpo, a Igreja.

 

Quarto mistério: A apresentação no Templo

O que significa para nós fazer parte de uma família espiritual, a Família Sodálite? O mistério que ora meditamos pode dar-nos algumas pistas: significa viver até o fim as consequências do nosso Batismo, aquela consagração fundamental cujo desdobramento são as diversas vocações, carismas e famílias espirituais ao longo da riquíssima experiência histórica da Igreja. Peçamos a Maria que nos apresente ao Pai como Família Sodálite, como Igreja, como corpo que somos. Renovemos também nosso compromisso de cooperar com Ela, desde a nossa situação atual, na edificação e crescimento desse corpo, do qual somos membros vivos.

 

Quinto mistério: A missão apostólica

Usando novamente metáforas, podemos dizer que a incursão do Menino Jesus no Templo é como um “ensaio de voo”, um raio de luz, em meio à vida oculta, cujos detalhes são desconhecidos para nós, e que mostra a seus pais, em miniatura, o que será a missão não só de Cristo, mas da própria Igreja. O Menino Jesus cresce lentamente, como qualquer outro menino, e Maria e José respeitam esse ritmo de crescimento. Não caiamos na tentação de apressar-nos ou desanimar ao constatar que a nossa Família tem ainda muito a crescer em estatura, sabedoria e graça. É esse o ritmo natural das coisas. Deixemo-nos formar por Maria, Aquela que nos ensina a guardar tudo no coração com esperança, cooperando com o Plano de Deus segundo o máximo das nossas capacidades e possibilidades.

 

Martin Ugarteche Fernández
Membro do Sodalício de Vida Cristã desde 1996. Nascido no Peru em 1978, mora no Brasil desde 2001. Por muitos anos foi professor de Filosofia na Universidade Católica de Petrópolis. Atualmente faz parte da equipe de formação do Sodalício, é diretor do Centro de Estudos Culturais e desenvolve projetos de formação na Fé e evangelização da cultura para o Movimento de Vida Cristã.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here