O que é o Natal e como devemos vivê-lo?

449

Presentes, comemorações de família ou sociais, chocolate, panetone, árvore de natal, luzes, etc. De fato, tudo isto gera na maioria de nós pensamentos e sentimentos de alegria, unidade, paz, conforto, ânimo e tranquilidade para os que passam por momentos de tribulação ou estresse. Penso que as coisas mencionadas anteriormente têm sim uma relação com o verdadeiro sentido do Natal, porém não são o sentido mais profundo do Natal, então, para que tudo isso, ou para quem?

O verdadeiro Natal é um Mistério, mistério de fé, alegria e gratidão; pois um Menino que nasceu faz 2000 anos aproximadamente, nasce realmente no nosso coração neste dia. “Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado” (Is 9,5)

Consideremos de verdade o que é o Natal; se realmente acreditamos em Deus, em que Ele se fez homem e que se deu através do SIM livre e generoso da Virgem Maria; devemos neste dia louvar agradecidos a Deus, ser conscientes de que no Menino Jesus, o homem nasce em Deus, pois é o mesmo Deus quem nasce no homem, e ser dóceis e silenciosos perante o mistério como o foi a Virgem Maria. Só assim, podemos dizer que é um tempo de renovação, de recomeçar. Lembremos que para ter uma verdadeira renovação precisamos revisar, considerar e reconciliar tudo o que nos afaste do Mistério.

Então, neste dia, maravilhemo-nos nas nossas casas olhando para o presépio e vivamos considerando com gozo este grande acontecimento que pode acontecer mais uma vez nos corações de cada um. Este acontecimento exige de nós uma resposta, uma acolhida, sabemos que na Virgem Maria temos o nosso modelo de vida cristã, como também podemos olhar para São José; mas nesta ocasião queria refletir sobre as atitudes de sair ao encontro dos Pastores e dos Sábios Magos.

Vigilância, prontidão e simplicidade

Os Pastores têm muito a nos ensinar. Eu quero sublinhar três coisas: vigilância, prontidão e simplicidade. Os pastores pelo seu oficio são pessoas que estão vigiando, por isso é que a mensagem chegou até eles, pois estavam velando nessa noite. Eles são pessoas despertas, ou seja, que não vivem um sonho e estão no seu mundo particular. São despertas, vigilantes porque saíram de seu mundo particular e dialogaram com uma realidade comum e que é a verdade. Eles confiaram na voz do anjo e por ser pessoas simples de coração confiaram que esse era o Messias esperado. Depois, eles percorreram o caminho até Belém com prontidão, “foram correndo” (Lc 2,15s.).  Vivemos num tempo que as pessoas fazem muitas coisas e com muita rapidez, mas Deus se encontra frequentemente quase no último lugar. Tudo pode funcionar, mas de que adianta, se se cai num agnosticismo funcional. Os Pastores nos ensinam o contrário!

Sabedoria, ser peregrinos e humildade

Os Sábios, também, têm muito a nos ensinar. Também quero sublinhar três coisas: sabedoria, ser peregrinos, e a humildade. Eles chegaram depois, pois precisaram de guia e indicações. Isto não faz o modelo deles menos importante para nosso mundo de hoje. Uma primeira caraterística deles é sua sabedoria, lembremos que todos recebemos esse dom. A sabedoria como todo dom, exige uma resposta, então, eles eram homens de muita ciência e que buscavam a verdade abrindo-se ao conhecimento perfeito. Outra atitude deles é que eram peregrinos, eles arriscaram muito e tiveram coragem para empreender o caminho até Belém. Também eram humildes, pois, embora a tradição também nos diga que eram reis, reconheceram com muita humildade a grandeza do Rei do Universo.

Como os Pastores e os Sábios do Oriente busquemos essa Luz que nos livra de todas as trevas e nos faz caminhar na direção certa. Aproveitemos para fazer um bom exame de consciência, pois o Mistério do Nascimento do Menino Jesus nos situa diante de nosso próprio mistério. “O mistério do homem só se esclarece no mistério do Verbo Encarnado”. (Gaudium et Spes, 22). E assim como dizia Orígenes: “Em efeito, para que te serve que Cristo tenha vindo feito carne uma vez, se Ele não chega até tua alma? ”. Só assim poderemos ter uma boa revisão de nossa vida e obter a ansiada renovação para ser cada vez mais felizes e realizados. Rezemos para que neste Natal possamos dizer: “vivo eu, mas não sou eu, é Cristo quem vivem em mim” (Gal 2, 20).

Quero terminar lembrando uma frase de Fulton Sheen.

“There were only two classes of people who heard the cry Christmas night: shepherds and wise men. Shepherds: those who know they know nothing. Wise men: those who know they do not know everything. Only the very simple and very learned discovered God — never the man with one book”

“Havia apenas duas classes de pessoas que ouviram o choro da noite de Natal: Pastores e Sábios. Pastores: aqueles que sabem que nada sabem. Os homens sábios: os que sabem que eles não sabem tudo. Somente os muito simples e muito instruídos descobriram Deus – nunca o homem com um livro”

Desejo a todos um Feliz e Santo Natal!

Dante Ricardo Carrasco Aragón

24/12/15

COMPARTILHAR
Dante Carrasco Aragón
Nasceu em Lima, Peru, em 1983. Membro do Sodalício de Vida Cristã e mora no Brasil desde 2008. Mestre em Psicologia e Bacharel em Administração. Realizou por alguns anos estudos de Filosofia. Atualmente estuda um Diplomado de Antropologia Cristã da Universidad San Pablo. É membro fundador da Associação Reconciliatio – Psicologia Integral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here