O que expressam os tapetes da celebração de Corpus Christi?

523

Todos os anos presenciamos a confecção de tapetes para a festa de Corpus Christi. Normalmente é um dia no qual as pessoas precisam de uma dose extra de generosidade e entrega para poder ornamentar as ruas por onde passará a procissão com o Senhor Sacramentado. Algumas cidades até começam a fazer no dia anterior com a esperança de que não chova de noite e tudo precise ser retocado no dia seguinte (O que seria feito também com muito amor). Porque tanto trabalho para algo que passará tão rapidamente? Que significados têm essa prática e essa festa?

É o Rei dos reis que vai passar. Jesus, no ato de sua Assunção, nos disse que ficaria conosco até o fim dos tempos e se bem é verdade que Ele está presente em tudo e em todos, para os católicos essa presença se faz ainda mais concreta no Santíssimo Sacramento, na hóstia consagrada. Ali está realmente presente em corpo, alma e divindade o Nosso Senhor e por isso o adoramos nos tabernáculos de todas as Igrejas católicas. Esse amor, no entanto, muitas vezes se esfria. “Esquecemos” do imenso dom que Ele faz ao doar-se por nós e esperar-nos pacientemente nas capelas. Por isso na festa de Corpus Christi a Igreja nos lembra com toda a realeza possível daquele que é o centro de nossas vidas e que está no meio de nós para nos alimentar e fortificar para vivermos uma vida santa.

A procissão é um momento forte no qual Jesus literalmente passa no meio de nós, sustentado pelos clérigos e acompanhado por todos os fiéis. Ou seja, é toda a Igreja que dá testemunho de sua fé para os demais. E nesse ato, ela mesma renova sua fé. É como se disséssemos todos juntos (E literalmente dizemos quando cantamos juntos) que Jesus é nosso Senhor e caminha no meio de nós. A fé nos permite ver essa realidade e os que não têm fé têm a oportunidade de se questionar sobre o que está acontecendo diante dos seus olhos. O Senhor mesmo lhes toca o coração para que possam reconhece-lo como o Senhor presente que seus corações buscam.

Os tapetes tradicionais desse dia são mais uma manifestação da nossa adoração ao Senhor. Em outros lugares, como nos prêmios de cinema, se estende um tapete vermelho para que as celebridades possam passar. Pois bem, com muito mais razão o tapete que estendemos para Jesus precisa manifestar quem Ele é para nós e como nós reconhecemos isso. E que os tapetes sejam trabalhados a mão, feitos com dedicação e um coração amoroso mostra justamente que estamos dispondo da nossa vida, de todo o nosso ser para Aquele que é Deus, Senhor de nossas vidas. Talvez não tenha toda a pompa e elegância que as celebridades recebem, mas o que Ele quer é justamente as nossas vidas, o que somos. Ele é o rei que vem montado em um burrico (Se lembramos da passagem Evangélica do Domingo de ramos).

Logo depois da procissão, tudo passa e parece voltar ao normal. Em algumas cidades surpreende o quão rápido se limpam as ruas, quase como se não se quisesse ter tido todo esse trabalho. Mas não volta tudo ao como era antes. A manifestação de Jesus como Senhor presente tem sua eficácia de uma forma que não podemos imaginar. Quantos corações convertidos ou reconvertidos. Quantas pessoas tocadas por ver que Deus cumpre sua promessa de estar no meio de nós. Quantas pessoas que agora se lembrarão melhor do Senhor que os espera no Tabernáculo. Que a festa de Corpus Christi nos renove no amor, no amor do Senhor na Eucaristia que está de verdade no meio de nós.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here