Os mistérios gloriosos e a vida em comunidade  

1033

Hoje meditamos em companhia de Maria sobre um dos aspectos da vida cristã: o ter sido chamados a peregrinar como comunidade e não sozinhos, no seguimento do Senhor Jesus. E o meditaremos hoje guiados pelos mistérios gloriosos do Rosário, pedindo a intercessão de Nossa Senhora para ser, todos nós, construtores de comunidade.

 

 Primeiro mistério: A Ressurreição

 

“À tarde desse mesmo dia, o primeiro da semana, estando fechadas as portas onde se achavam os discípulos, por medo dos judeus, Jesus veio e, pondo-se no meio deles, lhes disse: “A paz esteja convosco!” Tendo dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos, então, ficaram cheios de alegria por verem o Senhor. Ele lhes disse de novo: “A paz esteja convosco!”” (Jo 20,19-21a).

 

Quando o Senhor Jesus aparece aos apóstolos depois da Ressurreição, derrama sobre eles a paz. Somente quando o Senhor está no centro da nossa comunidade é que podemos viver em paz e amizade, cultivando a reconciliação com todos quantos formam a comunidade.

 

Cantemos: Bendigamos a Deus.

 

 Segundo mistério: A Ascensão do Senhor

 

“Em verdade ainda vos digo: se dois se vós estiverem de acordo na terra sobre qualquer coisa que queiram pedir, isso lhes será concedido por meu Pai que está nos céus. Pois onde dois oi três estiverem reunidos em meu nome, ali estou eu no meio deles” (Mt 18,19-20)

 

O Senhor Jesus ascende aos Céus, mas não deixa sozinhos seus discípulos, aquela pequena comunidade chamada a continuar a sua missão. Numa ocasião Ele disse que onde dois ou mais se reunissem em seu nome, Ele estaria no meio deles. Por isso, nunca nos cansemos de rezar em comunidade, elevar juntos nossos corações a Deus, com a certeza de que ele caminha conosco e fortalece a nos ensina a sermos verdadeiros amigos uns dos outros.

 

 Terceiro mistério: Pentecostes

 

“Eram Pedro e João, Tiago e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, o zelota; e Judas, o filho de Tiago. Todos estes, unânimes, perseveravam na oração com algumas mulheres, entre as quais Maria, a mãe de Jesus, e com os irmãos dele” (At 1,13b-14).

 

Desde os primeiros passos da comunidade dos discípulos, Maria participa ativamente, cumprindo com a missão de guiar todos até seu Filho Jesus. Por isso Ela se mantém em oração junto com eles, alentando-os e esperando o dom do Espírito Santo. Assim também nós, perto do coração dEla, peçamos que mos ensine a rezar e a ter corações abertos ao Espírito, para sermos homens e mulheres novos, aptos para viver a caridade com todos, a começar por todos quantos fazem parte da nossa comunidade.

 

Cantemos: Estaremos aqui reunidos.

 

 Quarto mistério: A Assunção

 

“Não se perturbe o vosso coração! Credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se não fosse assim, eu vos teria dito, pois vou preparar-vos um lugar, e quando eu me for e cos tiver preparado um lugar, virei novamente e vos levarei comigo, a fim de que, onde eu estiver, estejais vós também” (Jo 14,1-4).

 

A Assunção de Maria é um dom de Deus a Nossa Mãe em virtude da sua união íntima com Jesus. Ela que sempre o seguiu, em corpo, alma e espírito, em todos seus passos, também o segue da mesma forma até o Céu. E nós também esperamos um dia encontrar-nos com Jesus e Maria, mas também com os nossos amigos em Cristo, aqueles com os quais compartilhamos uma mesma missão, que nos ajudam e ajudamos no caminho à santidade.

 

Cantemos: Com minha mãe estarei.

 

 Quinto mistério: Coroação de Maria como Rainha dos Céus e da terra

 

“Um sinal grandioso apareceu no céu: uma Mulher vestida com o sol, tendo a lua sob os pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas; estava grávida e gritava, entre as dores de parto, atormentada para dar a luz” (Ap 12,1-2)

 

Maria é a Mulher coroada de estrelas, que ainda geme com dores de parto, por todos aqueles que ainda não triunfaram, que não se configuraram plenamente com Jesus, para triunfar com Ele. Ela se preocupa por cada um de nós. As nossas comunidades, nossos agrupamentos marianos e demais grupos de vida cristã devem seguir o exemplo de Maria, irradiando para mais pessoas a experiência de comunhão que nelas se vivem, assumindo um compromisso apostólico para que mais e mais pessoas possam também encontrar esse tesouro que tanto amamos.

Martin Ugarteche Fernández
Membro do Sodalício de Vida Cristã desde 1996. Nascido no Peru em 1978, mora no Brasil desde 2001. Por muitos anos foi professor de Filosofia na Universidade Católica de Petrópolis. Atualmente faz parte da equipe de formação do Sodalício, é diretor do Centro de Estudos Culturais e desenvolve projetos de formação na Fé e evangelização da cultura para o Movimento de Vida Cristã.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here