Os mistérios gozosos desde a ótica de São José

840

Esta semana celebramos com toda a Igreja a festa de São José, pai adotivo do Senhor Jesus e casto esposo da Virgem Maria. Hoje teremos presente a experiência deste grande santo na meditação dos mistérios gozosos, procurando conhecer e aprender as grandes lições que ele nos apresenta para a nossa vida cristã.

 

Primeiro mistério: a Encarnação do Verbo no seio de Maria.

A decisão de são José de repudiar Maria em segredo responde a seu reconhecimento de que algo milagroso, para além da compreensão da luz natural da razão, estava acontecendo com a Virgem de Nazaré. Consciente da sua pequenez, São José prefere retirar-se, ao não reconhecer sinais de que ele teria algum papel a desempenhar nas maravilhas que Deus realizava na vida de Maria. O gesto de São José revela um coração reverente e sensível ao mistério, lento para levantar juízos antes de ter suficientes elementos da realidade para fazê-lo.

 

Segundo mistério: a Visitação de Maria a sua prima Isabel.  

Tomando como ponto de partida o que dizíamos na meditação anterior, a reverência e sensibilidade de José para com o mistério, e considerando a reação de Isabel quando recebe a visita da sua prima Maria, não é difícil imaginar que também José via em Maria uma mulher Bendita, que carregava em seu ventre um fruto também Bendito. José, nos lembra o Papa Emérito Bento XVI, ao ser chamado de “justo”, é reconhecido pela Palavra de Deus como um representante da espiritualidade mais alta do Antigo Testamento. Ao repudiar Maria em segredo, ele faz o que todo judeu devoto faria diante da presença de Deus, sentir-se indigno, dar um passo atrás com santo temor e profundo respeito.

 

Terceiro mistério: o nascimento do Messias em Belém

José recebe em sonhos uma missão muito especial: a de ser pai adotivo de Jesus, a de dar o nome ao Filho de Deus. A partir desse momento, José, que antes duvidava, agora responde com prontidão ao Plano de Deus. José protege Maria e o Menino, ainda no ventre dela, durante a viagem a Belém e se preocupa por encontrar um lugar digno para o parto. José nos ensina, como o faz também Maria, a discernir sempre o Plano de Deus, com a luz do Espírito e a cumpri-lo prontamente, até mesmo nas situações exigentes.

 

Quarto mistério: a apresentação de Jesus no templo

Chama a atenção a pobreza e humildade da família de Nazaré, ao apresentar dois pombinhos para pagar o resgate pelo Menino Jesus, conforme mandava a Lei de Israel. Era a oferta estipulada para os pobres. São José nos ensina a viver a “provisionalidade”, o desapego aos bens deste mundo. O importante é sempre tentar fazer o nosso melhor, considerando as nossas capacidades e possibilidades, com um coração confiante na providência divina. A oferta do casal é pequena e simples, mas o preceito foi cumprido, e isso é o mais importante. Como o “óbolo da viúva”, do qual Jesus faria muito depois um elogio, esta simples oferta também agradou muito mais a Deus do que as sobras que os poderosos e os ricos deste mundo lhe oferecem.

 

Quinto mistério: o Menino Jesus perdido e encontrado

Não é possível imaginar a angústia e preocupação de José neste episódio. À preocupação normal que todo pai sentiria, é necessário acrescentar a preocupação adicional por saber que esse Menino era o Messias. As Sagradas Escrituras nos dizem que é Maria quem se dirige ao Menino, com uma suave repreensão. José cala, como em vários outros momentos. O que sabemos é que, de fato, José buscou o Menino por três dias, junto com Maria. E também sabemos que depois disso voltou para Nazaré, onde seu trabalho de proteger, educar e zelar pelo crescimento do Menino continuou, com igual empenho. Sabia ele que esse Menino não era realmente seu Filho, que o era apenas por adoção. Seu amor por ele era imenso, o que explica a sua angústia ao busca-lo, não só como seu filhinho, mas como seu Salvador.

Martin Ugarteche Fernández
Membro do Sodalício de Vida Cristã desde 1996. Nascido no Peru em 1978, mora no Brasil desde 2001. Por muitos anos foi professor de Filosofia na Universidade Católica de Petrópolis. Atualmente faz parte da equipe de formação do Sodalício, é diretor do Centro de Estudos Culturais e desenvolve projetos de formação na Fé e evangelização da cultura para o Movimento de Vida Cristã.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here