Star Wars Rogue One: um convite à esperança

228

Depois do sucesso do último Star Wars: O Despertar da Força, lançado em dezembro do ano passado, será lançado no dia 15 de dezembro no Brasil um novo filme desta grande saga.

Eu sou fã de Star Wars e me empolguei muito com o último filme. Aquela “menina”, a Rey (interpretada por Daisy Ridley), mandou muito bem! E aquele Stormtrooper, o Finn (John Boyega), também foi bem legal né. Havia uma boa química entre eles…

[youtuber youtube=’http://www.youtube.com/watch?v=9oISQcXuki0′]

Estou louco para ver a continuação da história. Mas peraí! Não vai ser a continuação da história? Sai uma “menina” e entra outra: a Jyn Erso (Felicity Jones). E a história volta um pouco antes…

Estamos falando de Star Wars: Rogue One. Esse filme é o que chamamos de spin-off, uma história derivada, que não tem a obrigação de ter uma sequência. O que já temos certeza é que o final deste filme coincide com o começo da história do primeiro filme da saga lançado em 1977,  Star Wars – Episódio IV: Uma Nova Esperança.

Uma breve sinopse: um grupo de rebeldes tem a missão de roubar os planos de construção da Estrela da Morte, uma arma poderosíssima do Império, que seria capaz de destruir um planeta inteiro.  Essa missão terá uma importância muito grande em trazer esperança para a galáxia.

Forma-se para isso uma equipe de elite, denominada Rogue One. Papel importante na equipe terá a Jyn, pois o seu pai foi o idealizador da Estrela da Morte.

Estive lendo uma série de especulações sobre o filme. Começam a formar-se várias teorias sobre a origem dos personagens e a relação com o universo Star Wars. Uma delas é que a Jyn pode ser a mãe da Rey.

Além das teorias, quando falamos sobre a saga Star Wars, podemos pensar em vários temas legais que podem dizer muito para nós, católicos.

Alguns deles: a vocação (basta lembrar de alguns diálogos entre Yoda e Luke Skywalker), a ação da graça (que conhecemos como o lado bom, ou iluminado, da força), a tentação, queda e pecado (todo o processo de Darth Vader passando para o lado negro da força), a existência do mal (a escuridão, lado negro da força), a conversão, o sacrifício redentor (Obi Wan se sacrifica para salvar a Leia e Luke), a ressurreição (reencontro dos espíritos de Obi Wan e Yoda), e existem muitos outros…

Pensando concretamente no próximo filme, com o que vi do trailer e o que pesquisei a respeito, gostaria de focar em um tema que tenho a certeza de que estará presente e será como o fio condutor do enredo: a esperança.

“Temos esperança. Rebeliões são formadas pela esperança”

Durante uma reunião do conselho dos rebeldes uma pessoa pergunta, referindo-se à Estrela da Morte: “Se o Império tem esse tipo de poder, que chance temos?”

Fyn responde: “Temos esperança”. Em outro momento fala para a equipe do Rogue One: “rebeliões são formadas pela esperança”.

De fato ninguém vive sem esperança. Ela é como o nosso combustível, aquelas asas que nos conduzem a caminhos nunca antes imaginados.

Ela quem motiva esses rebeldes a lutarem contra o grande Império, contra o lado negro da força.  Ajuda que eles vençam uma série de obstáculos e realizem a sua missão. Mesmo que isso implique um sacrifício, dar a vida. Pelo trailer parece que alguns se sacrificarão… Mas com o olhar de esperança na grande meta, vale a pena…

Para nós, jovens de Maria, a esperança “é a virtude teologal pela qual desejamos como nossa felicidade o Reino dos Céus e a Vida Eterna, pondo nossa confiança nas promessas de Cristo e apoiando-nos não em nossas forças, mas no socorro da graça do Espírito Santo.” (Catecismo da Igreja Católica, 1817)

A promessa e o prêmio que Jesus nos dá é muito maior do que o que se propõe no filme. Como está a minha esperança? Confio totalmente em Jesus ou ainda tenho muita esperança nas coisas mundanas, nos ídolos efêmeros? Seria capaz de sacrificar-me como Jesus fez por mim? Sei esperar em Deus ou sou muito impaciente e quero as coisas imediatamente, da minha maneira?

São tantas perguntas que posso me fazer sobre a esperança…Porém, queria propor que fiquemos com uma certeza sobre ela: Deus nos deu esse presente para que a nossa vida tenha sentido, para que sejamos felizes para sempre. A felicidade que eu já posso experimentar aqui na terra, Deus quer que eu viva para sempre com Ele e com aqueles que amo.

Partilho para vocês que para mim a esperança me motiva a crer mais e amar mais, principalmente naqueles momentos em que é mais difícil. Todos vocês sabem que são muitas batalhas que temos no dia a dia. Com a esperança tudo se torna mais fácil.

“Salve a rebelião! Salve o sonho”

Quem diz essa frase no filme é o Saw Gerrera, interpretado pelo vencedor do Oscar Forest Whitaker. Ele não faz parte do esquadrão Rogue One (na verdade é meio independente, como um veterano de guerra muito ferido pelas várias batalhas lutadas), mas é um aliado e como eles também tem esperança, acredita no sonho de uma galáxia melhor, livre do lado negro da força.

Então, está disposto a salvar o sonho, a fazer a rebelião do amor?

Que a força esteja com vocês!

Por: Gilberto Cunha

COMPARTILHAR
Leigo consagrado no Sodalício de Vida Cristã. Formado em Filosofia e Análise de Sistemas. Estudante de Teologia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here