Tenho necessidade de que me elogiem

177

Todos gostamos de um elogio. Seja porque fizemos um bom trabalho ou porque possuímos alguma qualidade positiva, seja física ou espiritual. Esse gosto que sentimos quando somos elogiados parece ser um movimento natural do nosso coração. Lembremos, por exemplo, ocasiões nas quais estávamos um pouco para baixo e bastou que alguém nos fizesse um elogio para que o nosso ânimo se levantasse, para que tudo o que antes parecia cinza, aparecesse agora aos nossos olhos com uma nova luz.

De fato, é importante para nossa convivência, humana e cristã, saber reconhecer as realizações e qualidades dos demais, não só mentalmente, mas exteriorizando esse reconhecimento. Uma maneira de fazê-lo é dizendo um obrigado, tanto à pessoa como ao próprio Deus, de quem procede tudo o que é bom. Também quando olhamos para nós mesmos e descobrimos coisas boas, é importante sermos gratos a Deus e lembrarmos que tudo isso foi-nos dado para servir aos nossos irmãos. Está lembrado da parábola dos talentos? Então, veja se você está fazendo como os servos bons, colocando seus talentos a serviço dos demais, ou se os está escondendo como o servo mau.

Sendo tudo isso verdade, é importante também não fazer as coisas com o objetivo de sermos elogiados, mas porque descobrimos que é a coisa certa a ser feita. Em certa ocasião, Jesus disse aos seus discípulos que a sua mão direita não soubesse o que a esquerda fez, querendo significar com isso, o perigo de fazer as coisas para ser vistos pelos demais, para que eles pensem que somos muito bons. Esse foi justamente o defeito dos fariseus que Jesus tanto criticou, porque os tornava imunes à graça e à misericórdia de Deus.

Se você é daqueles que gostam de ser elogiados, que ficam deprimidos ou para baixo quando ninguém curtiu uma frase ou uma foto que postou nas redes sociais, ou poucas pessoas curtiram, pare um pouco para pensar. Reflita por que isso é tão importante para você. Afinal de contas, você não acredita que Deus é seu Pai, que cuida e ama você, em todos os momentos, não só quando pratica o bem, mas também nos momentos em que você tropeça e perde o rumo?

Em alguns casos, essa necessidade de ser elogiado pode ser expressão de uma fraqueza psicológica. Pode ser que você tenha uma baixa autoestima e, por isso, é tão importante que os demais estejam constantemente lembrando-o de quanto você é valioso. Procure um psicólogo que entenda a sua fé cristã, de tal forma que ele o possa ajudar a superar essa debilidade. Não há motivo para se envergonhar das fraquezas psicológicas. Assim como o corpo, a nossa psiqué também pode adoecer e precisa de cuidados.

Por último, queria lembrar a você, que está lendo este artigo, de quão grande é o seu valor. Não há elogio maior que este: Deus o criou por amor, e Cristo morreu por você na Cruz, para reconciliá-lo. Como dizia São Paulo: “Poucos dariam a vida por um justo, e, no entanto, Cristo deu a sua vida por nós, quando ainda éramos pecadores”. Quem medita nessas verdades a cada dia, em oração, e vai se aprofundando cada vez mais nelas, não precisa mais dos elogios dos homens.

Peçamos ao Espírito que nos ilumine e faça de nós homens e mulheres cada vez mais maduros, daqueles que estão mais preocupados em servir do que em ser servidos; mais em amar do que em ser amados.

COMPARTILHAR
Martin Ugarteche Fernández
Membro do Sodalício de Vida Cristã desde 1996. Nascido no Peru em 1978, mora no Brasil desde 2001. Atualmente mora em Petrópolis, onde é professor de filosofia na Universidade Católica e trabalha em diversos projetos de evangelização da cultura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here