Caminho para Deus 121 – «Ide por todo o mundo e proclamai a Boa Nova»

1263

«Cristo é o caminho, a verdade e a vi­da. Depois de subir ao céu, enviou o Espírito de unidade que chama a Igreja a viver em comunhão interior e a cumprir a missão evangelizadora no mundo»[1].

Queremos desde já nos preparar para o grande acontecimento da II Assembléia Plenária do MVC, que será realizada neste ano. O tema da Assembléia tem como título as palavras que o Senhor ressuscitado dirigiu aos seus apóstolos e discípulos antes de ascender aos céus: «Ide por todo o mundo, proclamai o Evangelho»[2]. É justamente este o tema de reflexão para este mês. Somos conscientes de que Deus nos pede que cresçamos cada dia mais: pessoalmente, em santidade e em um intenso compromisso de amor com Ele e com os irmãos humanos, assim como também comunitariamente, como família espiritual, dentro da Comunhão da Igreja da qual somos filhos e membros. Por isso, tendo recebido e acolhido o dom da fé ―nosso maior tesouro!― queremos compartilhá-lo com todos e levá-lo a quantos mais pudermos[3], sendo membros muito ativos da evangelização neste terceiro milênio da fé, no mundo no qual estamos chamados a ser protagonistas.

A missão apostólica

Depois de sua ressurreição, o Senhor Jesus se apresentou muitas vezes aos apóstolos[4], reforçando sua fé e preparando-os para o início de uma grande missão evangelizadora, que lhes confiou de modo definitivo no momento de sua ascensão ao céu. Foi nesta hora que o Senhor dirigiu aos seus apóstolos este mandato: «Ide por todo o mundo, proclamai o Evangelho a toda criatura»[5]. Deste momento o Evangelista São Mateus recolhe também estas outras palavras do Senhor: «Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito San­to e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei»[6]. O chamado do Senhor é um chamado a pôr-se em marcha, um envio com seu poder para continuar sua própria missão reconciliadora e proclamar o Evangelho a todas as criaturas de todos os tempos, para transformar como o fermento[7] o mundo inteiro.

Com a força de seu Espírito

O Senhor tinha mandado anteriormen­te que os discípulos esperassem em Jerusa­lém a vinda do Espírito. Havia-lhes dito: «Sereis batizados com o Espírito Santo dentro de poucos dias»[8]. Seguindo aquelas indicações voltaram ao cenáculo e ali perseveravam na oração[9] em companhia de Maria, preparando, desta maneira, seus corações para receber o Dom prometido.

Cinqüenta dias depois da ressurreição do Senhor sucedeu aquele imponente desabrochar do Espírito sobre Maria e os apóstolos: «De repente, veio do céu um ruído, como o agitar-se de um vendaval im­petuoso, que encheu toda a casa em que se encontravam. Apareceram-lhes, então, línguas como de fogo, que se repar­tiam e pousaram sobre cada um deles. E todos ficaram repletos do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia se exprimissem»[10]. São Francisco de Sales escreve que o Senhor Jesus «enviou sobre os discípulos reunidos, que Ele havia escolhido para este ministério, línguas de fogo, mostrando deste modo que a pregação evangélica estava inteiramente destinada a pôr fogo nos corações»[11]. Os presentes ouviam surpreendidos, cada qual em sua própria língua[12], os apóstolos, que cheios do Espírito Santo e ardendo em um intenso zelo apostólico, falavam das maravilhas de Deus. O Espírito fortaleceu interiormente os até então tímidos apóstolos e lançou-os ao anúncio incontido, ardoroso, valente e audaz do Evangelho, com o fim de inflamar o mundo inteiro[13].

Hoje como ontem, o Espírito Santo é o protagonista da evangelização. Este Dom divi­no comunicado a homens e mulheres frágeis e débeis como nós é, ao mesmo tempo, luz e força: luz, para anunciar o Evangelho, a verdade plenamente revelada por Deus em Jesus Cristo; força, ardor e vitalidade para proclamar e irradiar o Evangelho a todos os seres humanos, para dar testemunho da fé vencendo todo o medo, complexo ou limitação. Deste modo se cumpria e se cumpre também hoje o que o Senhor tinha anunciado já anteriormente a seus discípulos: «Recebereis a força do Espírito Santo, que descerá sobre vós, e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e a Samaria, e até os confins da terra»[14].

«Por que estais aí a olhar para o céu?»[15]

Estas palavras são dirigidas por dois mensageiros divinos aos apóstolos e discípulos do Senhor imediatamente depois de sua Ascensão. O crente sabe bem para onde foi o Senhor[16], e é para lá que dirige seu olhar. O Senhor Jesus avançou adiante de nós, e nEle colocamos nossa esperança, e nosso anseio é segui-lO onde Ele está para participar também de sua própria vitória e alcançar, assim, o horizonte de felicidade e vida eterna que Ele nos prometeu.

Ainda assim, não podemos “ficar olhando o céu”, pois há todo um mundo a transformar! E certamente o trabalho é vasto, pois «para a Igreja não se trata tanto de pregar o Evangelho a espaços geográficos cada vez mais vastos ou populações maiores em dimensões de massa, mas de chegar a atingir e como que a modificar pela força do Evangelho os critérios de julgar, os valores que contam, os centros de interesse, as linhas de pensamento, as fontes inspiradoras e os modelos de vida da humanidade, que se apresentam em contraste com a palavra de Deus e com o desígnio da salvação»[17].

Esperamos no Senhor, nosso olhar está posto nEle e mantemos sempre vivo o anseio de encontrar-nos definitivamente com Ele, mas esta espera não é nem pode ser passiva, muito pelo contrário: nossa fé e esperança no Senhor nos lançam a aproveitar ao máximo o tempo presente para empenhar-nos com todas as nossas forças e capacidades à grande tarefa que Ele encomendou a todos os filhos e filhas da Igreja. Não há tempo a perder! «Não permaneçamos, pois, passivamente à sua espera! Em todos os lados, no trabalho ou durante o tempo livre, em tua terra ou viajando por outros lugares, quando acolhes a outro ou aceitas sua hospitalidade, és arauto itinerante de Cristo!»[18] Assim, enquanto esperamos confiantes sua gloriosa vinda, compreendemos que cada dia que o Senhor nos concede é um dia para trabalhar por Ele, para dilatar seu Reino, para anunciá-lo, para que muitos mais possam conhecê-lO, encontrar-se com Ele e amá-lO, e assim também seguirem para participar da vida eterna que o Pai promete a todos os que crêem em seu Filho[19].

«Ide por todo o mundo…»

Deus nos chamou a cada um por nosso nome, nos ungiu e nos enviou, tornando-nos partícipes da missão de seu Filho amado[20].  Hoje também temos em nós a força do Espírito e experimentamos o dinamismo expansivo da Boa Nova: não podemos conter seu anúncio! Arde em nosso coração um fogo que necessita comunicar-se e expandir-se inflamando outros corações com o anúncio do Evangelho, buscando ganhá-los para o Senhor com o testemunho de uma vida que, levando o Senhor muito dentro de si, irradia-O apenas com sua presença. Isso  se expressa na crescente coerência com que vivemos o Evangelho que pregamos na nossa vida cotidiana. Por isso a semente da Boa Nova espera e necessita ser acolhida por nós mesmos a cada dia, pois está chamada a germinar e dar frutos de conversão e santidade em mim, para que desse modo possa anunciá-la de modo crível e convincente a todas as pessoas com as quais me encontre diariamente. Jamais podemos esquecer que a evangelização do mundo inteiro passa através de nossa própria santidade, possível somente na medida em que cada um saiba acolher o Espírito divino em si deixando-se transformar por seu dinamismo de amor! Não esqueçamos que ninguém dá o que não tem: ninguém de nós poderá transmitir o Senhor se não o levar dentro de si, se cada dia não lhe abrir a porta de seu coração e se encontrar com Ele[21]. Se não arder o fogo do amor do Senhor em nossos corações, como poderemos inflamar outros corações, como poderemos inflamar o mundo inteiro?

O Senhor nos convida, em companhia de Santa Maria e unidos a Ela na oração, a dispormos nossos corações para acolher o dom do Espírito e por seu impulso poder anunciar o Res­suscitado com aquele mesmo zelo com que foi anunciado pelos primeiros apóstolos, um zelo que os impulsionou a levar o Nome do Senhor a todos os confins da terra.

Citações para oração

  • Enviados a anunciar o Evangelho ao mundo inteiro: Mc 16,15; Mt 28, 18‑20. Temos de fazer o que o Senhor nos diz: Jo 2,5; Mc 16,20.
  • O Senhor Jesus promete seu Espírito, força para levar a cabo a missão evangelizadora: Jo 15, 26‑27; At 1, 8.
  • O Espírito Santo é o protagonista da evangelização: At 2, 1-4; 2,18; 4,8ss; 4,31; 9,17; desce em forma de línguas de fogo sobre os apóstolos: At 2,3-4; para que acesos seus corações e em nome do Senhor possam acender outros corações: Lc 12,49; nós somos cooperadores de Deus e de seu Espírito nesta tarefa evangelizadora: 1Cor 3,9; 2Cor 5,18-20; 6,1.
  • Anunciar o Evangelho é um dever que nos incumbe: 1Cor 9,16; Respondendo ao mandato do Senhor temos que procurar “ganhar quantos mais pudermos”: 1Cor 9,19-23; anunciando Cristo “a tempo e a destempo”: 2Tm 4,2; com minha vida ou com minha morte: Fl 1,20; em nossa conduta, fazendo tudo para glória de Deus e salvação dos outros: 1Cor 10,31-33.

INTERIORIZANDO

O Senhor Jesus disse aos apóstolos: “Ide por todo o mundo e anunciai o Evangelho”.

  • O que significam estas palavras do Senhor para você?
  • Você se experimenta chamado a anunciar o Evangelho a todo o mundo?

Para anunciar e dar testemunho vivo do Evangelho do Senhor Jesus no mundo, necessitamos da força do Espírito Santo. O Espírito é, na verdade, o protagonista da missão evangelizadora.

  • Você é consciente do papel protagônico que o Espírito exerce em seu apostolado?
  • Você costuma pedir e colocar os meios concretos para que o Espírito Santo derrame sua graça sobre você?
  • Que meios concretos você colocará para receber a graça do Espírito Santo?

«(Os leigos) exercem o apostolado na fé, esperança e caridade, virtudes que o Espírito Santo derrama nos corações de todos os membros da Igreja. Mais. Pelo preceito da caridade, que é o maior mandamento do Senhor, são instados os cristãos todos a promoverem a glória de Deus pelo advento de Seu reino e a conseguirem a vida eterna em favor de todos os homens: para que conheçam o único Deus verdadeiro e àquele a quem enviou, Jesus Cristo» (Apostolicam actuositatem, 3).

  • O amor para com os outros irmãos humanos impulsiona você a anunciar-lhes o Senhor Jesus?
  • Como você costuma anunciar o Senhor Jesus aos outros?

Lemos no texto que nós «não podemos “ficar contemplando o céu”, pois há todo um mundo para transformar!».

  • O que estas palavras suscitam em você?
  • Que coisas ainda o prendem, fazendo com que você fique “olhando o céu”, e que não o deixam lançar-se ainda mais no anúncio do Evangelho?

É muito comum que ao experimentar ou viver algo bom em nossa vida saiamos compartilhando isso com os demais. Vivemos esta mesma experiência ao encontrar-nos com o Senhor Jesus: queremos buscar os outros para que eles também se encontrem com o Senhor.

  • Você experimenta isto em sua vida cotidiana?
  • Você costuma anunciar e dar testemunho do Evangelho do Senhor Jesus às outras pessoas?
  • Que meios concretos você pode colocar para anunciar ainda mais o Senhor Jesus aos demais?

Sabemos que a missão de nossa Mãe, Santa Maria, é que todos os homens se conformem com seu Filho, o Senhor Jesus. E nós somos chamados a secundá-la nesta missão apostólica.

  • Santa Maria é para você um modelo de apóstola?
  • Em que coisas concretas Maria pode ajudar você em seu próprio apostolado?

Consagremos a nossa Mãe, Santa Maria, todos nossos esforços na realização da II Assembléia Plenária do Movimento de Vida Cristã e peçamos a Ela, Mãe dos Apóstolos, que interceda por nosso apostolado.

Contribuindo à mudança

Há tanto por fazer
e cada um tem sua própria tarefa
na gesta do nosso tempo.

Mãe Santíssima,
intercede para que
eu receba a força
e o incentivo
para cooperar
com a grande tarefa
de transformar este nosso mundo
contribuindo com o
meu grão de areia,
que bem poderia
fazer a diferença.
Amém.

Perguntas para o diálogo

1 – O Senhor Jesus também lhe chama a anunciar seu Evangelho a todas as pessoas. O que você está fazendo?

2 – Você se experimenta verdadeiramente convocado pelo Senhor Jesus para ser seu apóstolo no mundo?

3 – Por que o Espírito Santo é fundamental para o cumprimento da missão apostólica? Por que dizemos que Ele é quem exerce o papel protagônico no apostolado?

4 – Somente pode anunciar o Senhor Jesus quem verdadeiramente se encontrou com Ele. Você se encontrou com o Senhor Jesus? O que significa este encontro em sua vida?

5 – Como você avalia seu anúncio do Senhor Jesus às outras pessoas? Que meios concretos podem ajudar você a crescer ainda mais neste anúncio?

6 – Sempre afirmamos que Santa Maria é, para nós, modelo de apóstola. Por que afirmamos isto? Como Santa Maria o ajuda no apostolado concreto que você realiza?


[1] S.S. João Paulo II, Homilia na solenidade de Pentecostes, 1997, n.5.

[2] Mc 16,15.

[3] Ver 1Cor 9,19.

[4] Ver At 1, 2-3.

[5] Mc 16,15.

[6] Mt 28, 19‑20.

[7] Ver Mt 13,33.

[8] At 1, 5.

[9] Ver At 1,14.

[10] At 2, 2‑4.

[11] São Francisco de Sales, Prólogo do Tratado de amor a Deus.

[12] At 2,11.

[13] Ver Lc 12,49.

[14] At 1,8.

[15] At 1,11.

[16] Ver Jo 14,1-3.

[17] S.S. Paulo VI, Evangelii nuntiandi, 19.

[18] S.S. João Paulo II, Homilia na Solenidade da Ascensão, 1991, n.7.

[19] Ver Jo 3,16.

[20] Ver Lc 4,18 e Catecismo da Igreja Católica, 1294.

[21] Ver Ap 3,20.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here