Papa no Angelus: ir além das aparências para entender o mistério de uma pessoa

177

O Papa Francisco rezou a oração mariana do Angelus, deste domingo (18/03), com os fiéis e peregrinos de várias partes do mundo, presentes na Praça São Pedro.

O Evangelho deste domingo, narra o episódio ocorrido nos últimos dias da vida de Jesus que se encontra em Jerusalém para a festa da Páscoa judaica.

Alguns gregos também participaram desta celebração ritual. “Trata-se de homens animados por sentimentos religiosos, atraídos pela fé do povo judeu e que, tendo ouvido falar desse grande profeta, se aproximam de Filipe, um dos doze apóstolos, e lhe dizem: ‘Queremos ver Jesus’”.

Chegar ao coração

“João ressalta esta frase, centrada no ver, que no vocabulário do evangelista significa ir além das aparências para entender o mistério de uma pessoa. O verbo que João usa “ver” significa chegar ao coração, chegar com os olhos, com o entendimento até o íntimo da pessoa, dentro da pessoa”, disse o Papa.

“A reação de Jesus é surpreendente. Ele não responde com um sim ou com um não, mas diz: “Chegou a hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado.” Estas palavras, que à primeira vista parecem ignorar a pergunta dos gregos, na realidade dão a verdadeira resposta, porque quem quer conhecer Jesus deve olhar dentro da cruz, onde sua glória é revelada. Olhar dentro da cruz.”

“ O Evangelho de hoje nos convida a dirigir o nosso olhar ao crucifixo, que não é um objeto de decoração ou o acessório de uma roupa, às vezes abusado! ”

“Mas, um sinal religioso a ser contemplado e compreendido. Na imagem de Jesus crucificado se revela o mistério da morte do Filho como supremo ato de amor, fonte de vida e salvação para a humanidade de todos os tempos. Em suas chagas fomos curados”.

Sabedoria da cruz

“Posso pensar: como eu olho o crucifixo? Como uma obra de arte, para ver se é bonito ou feio? Eu o olho de dentro, entro nas chagas de Jesus até o seu coração? Olho o mistério do Deus que se aniquilou até a morte, como um escravo, como um criminoso? Não se esqueçam disso: olhar o crucifixo, mas olhá-lo dentro.”

“Existe a devoção bonita de rezar um Pai-Nosso numa das cinco chagas: quando rezamos este Pai-Nosso, procuremos entrar dentro das chagas de Jesus, em seu coração.”

“ Ali, aprenderemos a grande sabedoria do mistério de Cristo, a grande sabedoria da cruz. ”

Para explicar o significado de sua ressurreição, Jesus usa uma imagem e diz: “Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só; mas se morre, então produz muito fruto.”

Resgatar os homens

“Ele quer deixar claro que o seu evento extremo, ou seja, a cruz, morte e ressurreição, é um ato de fecundidade, as suas chagas nos curaram. Uma fecundidade que dará fruto para muitos. Assim, ele se compara ao grão de trigo que morrendo na terra gera vida nova.”

“Com a encarnação, Jesus veio ao mundo; mas isso não basta: Ele deve também morrer para resgatar os homens da escravidão do pecado e dar-lhes uma nova vida reconciliada no amor. Eu disse para resgatar os homens: para me resgatar, resgatar você, todos nós, cada um de nós. Ele pagou esse preço. Este é o mistério de Cristo. Vai às suas chagas, entra e contempla. Veja Jesus de dentro.”

Dinamismo do grão de trigo

Segundo o Papa, “este dinamismo do grão de trigo, realizado em Jesus, também deve ser realizado em nós seus discípulos”.

“ Somos chamados a fazer nossa esta lei pascal de perder a vida para recebê-la nova e também eterna. ”

Então Francisco perguntou: “O que significa perder a vida? O que significa ser um grão de trigo? Significa pensar menos em si mesmos, nos interesses pessoais, e saber “ver” e ir ao encontro das necessidades de nosso próximo, especialmente dos últimos.”

“Realizar com alegria obras caritativas aos que sofrem no corpo e no espírito é a maneira mais autêntica de viver o Evangelho, é o fundamento necessário para que as nossas comunidades cresçam na fraternidade e no acolhimento recíproco. Quero ver Jesus, mas vê-lo de dentro. Entra em suas chagas e contempla o amor de seu coração por você, por mim, por todos.”

Papa recorda visita a Pietrelcina e San Giovanni Rotondo

Após a oração mariana do Angelus, o Papa saudou todos os fiéis presentes na Praça São Pedro, provenientes da Itália e várias partes do mundo. Saudou também a União Folclórica Italiana.

Francisco recordou sua visita pastoral realizada, neste sábado (17/03), a Pietrelcina e San Giovanni Rotondo, nas pegadas de São Pio.

“Ontem, visitei Pietrelcina e San Giovanni Rotondo. Saúdo com afeto e agradeço as comunidades diocesanas de Benevento e Manfredonia, os bispos, Dom Accrocca e Castoro, os consagrados, fiéis e autoridades. Agradeço o acolhimento caloroso e tenho todos no coração, especialmente os doentes da “Casa Alívio do Sofrimento”, os idosos e os jovens. Agradeço aos que prepararam esta visita que realmente não esquecerei. Que Padre Pio abençoe a todos.”

Francisco concluiu, desejando a todos um bom domingo e pedindo aos fiéis para não se esquecerem de rezar por ele.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here