Santos Patronos JMJ – Irmã Maria Romero Meneses, FMA

171

Continuando a apresentar os Santos Patronos da JMJ, hoje vamos conhecer a história da Irmã Maria Romero Meneses, FMA.

VIDA

Nasceu em Granada (Nicarágua) no dia 13 de janeiro de 1902 e morreu em Las Peñitas, León (Nicarágua) no dia 7 de Julho de 1977. Seus pais Félix Romero Arana e Ana Meneses Bladón eram muito ricos e tinham uma vida cheia de comodidades. Maria teve treze irmãos. Quando tinha 8 anos (8 de dezembro de 1909), fez sua Primeira Comunhão. No ano seguinte, chegaram a Nicarágua as missionárias de Dom Bosco, filhas de Maria Auxiliadora (FMA). Eram muito pobres, muito boas e sempre sorridentes, ponto de partida no qual o Espirito Santo infundiu a vocação de Maria Romero e a levou a deixar para trás tudo pelo Senhor. Assim, seguiu a congregação que seria parte integrante até o fim de sua vida. Ela foi uma das primeiras inscritas no recém-fundado colégio juntamente com sua irmã Chila. Este mesmo colégio conserva atualmente uma sala museu com a cama onde dormia a beata durante sua estadia em Nicarágua antes de partir a Costa Rica. No início de 1920, aos 18 anos de idade, Maria Romero parte a El Salvador (Santa Tecla) para o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora para iniciar o seu noviciado. No dia 19 de março do mesmo ano, recebe o manto negro e inicia a usar o hábito negro que a caracterizou durante todo o resto de sua vida e, assim, passa a se chamar formalmente «Irmã Maria Romero».
A nomearam mestra de música quando era aspirante. No dia 24 de maio lhe colocaram a medalha de postulante e no dia 6 de janeiro de 1921, dia da Epifania, Irmã Maria passa a ser noviça. No dia 6 de janeiro de 1923, o padre inspetor, José Reynieri, recebe a profissão
religiosa de Irmã Maria. No dia 6 de janeiro de 1929, no Colégio Maria Auxiliadora de Granada, pronuncia seus Votos Perpétuos. Durante sua permanência em Nicarágua, começa a carregar o “diário negro”, escrevendo nele suas orações, alguns sentimentos que cobiçava sua alma, frases e pensamentos de muitos autores religiosos como São João da Cruz, Santa Catarina de Sena, Santo Agostinho, Santa Teresa de Jesus, etc. O livro “Escritos Espirituais” recolhe as anotações do referido diário.
Em 1931 a congregação a enviou à San José, Costa Rica, onde se dedicou a servir aos necessitados durante 46 anos. A pesar de considerar a Costa Rica como uma segunda pátria, Irmã Maria sempre se considerou nicaraguense e nunca renunciou sua cidadania. Em 25 de dezembro de 1938, começava a missão externa de Irmã Maria, cobrindo toda Costa Rica. “Deu de comer ao faminto, vestiu aquele que estava nu e deu teto aos que estavam sem teto”. A Santa granadina também levou saúde aos enfermos, organizando clínicas médicas para os pobres. As principais obras as desenvolveu em Costa Rica, mas em Nicarágua muitos depositavam sua fé em suas obras milagrosas. Segundo a senhora Mina Burgos, cada vez que vinha a Granada, sua cidade natal, milhares de crentes “vinham em romaria para vê-la. Todos queriam conversar com ela, pedindo algum milagre, principalmente uma cura”. Quando iniciava sua obra na Costa Rica, Irmã Maria ficava sempre olhando um bonito cafezal plantado frente ao Colégio Maria Auxiliadora em São José. “Sonhava que compraria este terreno e faria um santuário, nele construiria uma capela dedicada a Maria Auxiliadora, um consultório médico com sua respectiva farmácia e um edifício para alojar uma escola de meninas pobres. Tal sonho se tornou realidade”. “Costa Rica estava abandonada espiritualmente. Havia muita favela que ninguém atendia e ninguém via. Ela não aguentava isso porque Deus a fez para os pobres. Assim foi como começou os oratórios. Chegou a ter 58 oratórios em todos os bairros de Costa Rica”.

Entre suas obras sociais e espirituais mais importantes em Costa Rica estão as seguintes:

Consultórios Médicos, que prestam serviços gratuitos de medicina geral e medicamentos básicos a aqueles que não tinham proteção do seguro social. Se atendiam consultas com dentistas, oftalmologistas, pediatras e clínicos gerais.

  • Internado para jovens na Casa Maria Auxiliadora que favorece meninas que antes viviam nas ruas.
  • Capacitação em atividades como cozinheira e costureira e outros trabalhos a
    meninas e senhoras.
  • ASAYNE: Associação de Ajuda aos Necessitados, em Ciudadelas en Salitrillos de Aserrí, com 70 casas para abrigar famílias que antes vivam em condições precárias. Se estendeu a San Miguel de Desamparados y San Gabriel, no cantão Aserrí.
  • «Roupero», serviço que oferece roupas a preços simbólicos e, ocasionalmente, de forma gratuita.
  • Distribuição diária de cestas básicas para pessoas com recursos económicos escassos.

No dia 27 de Agosto de 1968, a UMA (União de Mulheres Americanas) a nomeou “mulher do ano”. Em 1976, obteve outro reconhecimento, desta vez o Rotary Club da Costa Rica lhe outorgou uma medalha de Ouro. Ao final do ano de 1999 foi declarada como uma dos personagens mais célebres entre os granadinos do século e do milênio. “Humilde religiosa das Filhas de Maria Auxiliadora ou Salesianas de Dom Bosco, fundou surpreendentes obras sociais em Costa Rica, sua segunda pátria. Sua fama se espalhou por além das fronteiras da América Central, Estados Unidos e América do Sul. E passou a ter fama de “santidade”, está escrito na contracapa de um livro sobre sua obra por Maria Domenica Grassiano, do Instituto Filhas de Maria Auxiliadora. Foi declarada Venerável pelo Papa São João Paulo II no dia 18 de dezembro de 2000. Sua esperada beatificação aconteceu na Páscoa de 2002. Para muitos, ela foi um “Dom Bosco” feminino. Na boca do seu povo, foi uma autêntica Santa e toda Latino América, em especial Nicarágua e Costa Rica, celebrou com grande júbilo o dia de sua beatificação, no dia 14 de abril de 2002, por parte do Papa João Paulo
II.

 

PREVISÕES

Irmã Maria Romero Meneses, previu o terremoto que destruiu Managua, no dia 22 de
dezembro de 1972. Dez dias antes da catástrofe, disse a Pablo Antonio Cuadra para que
tornasse público no diário La Prensa, “mas Pablo Antonio não publicou por medo de ser
chamado de louco”, disse a senhora Ruth Cuadra de Fuentes.

 

MILAGRES

 

Muitos milagres se atribuem a “monjita”, os quais foram apresentados durante seu processo de beatificação. Entre eles podem se destacam:

  • A cura de um jovem de quinze anos, enferma de leucemia.
  • Os sinos milagrosos que ajudaram a encontrar a um menino perdido.
  • A água que curou milagrosamente a vários enfermos.

ESPIRITUALIDADE

 

Irmã Romero é modelo de devoção a Jesus e Maria, de zelo missionário e de incentivar a
fé e a paz àqueles que estão longe de Deus. Seu ideal foi: amar profundamente a Jesus, seu Rei, e difundir sua devoção junto a de sua misericórdia Mãe Maria. Sua íntima alegria foi possível ao aproximar a verdade evangélica às crianças, aos pobres, aos que sofrem, aos marginalizados. A recompensa mais ambiciosa por seus sacrifícios foi ver a paz e a fé reaparecerem em uma vida que estava perdida. Esta espiritualidade e convicção levaram a esta simples e importante Beata a ser considerada um “Dom Bosco Feminino”.

MODELO PARA OS JOVENS

  • Não cair no consumismo, nem no materialismo
  • Desprendimento
  • Encontrar Jesus nos pobres
  • Atitude de serviço e ajuda
  • Preocupação com os enfermos e marginalizados
  • Fé viva em Jesus Cristo
  • Devoção filial a Maria
  • Combinar a santidade com o compromisso da vida

1 COMENTÁRIO

  1. Vamos pedir a intercessão da Ir. María Romero, junto a Deus, pelos jovens e crianças que estão na caverna na Tailândia. Que pela misericórdia de Deus e intercessão da Ir. María Romero consigam ser salvas. Amém.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here